Você berra para responder?


As redes sociais, e sobretudo o WhatsApp, deram início a um novo vício: o exclamativismo, termo que eu inventei. Trata-se do uso abusivo do ponto de exclamação. Qualquer frase agora é terminada com um monte deles. Tipo: "Onde você mora? São Paulo!!!!!". Ou: "Você foi ao médico? Fui!!!!!!". Ensurdecedor.


Tem gente que acha que enfiar pontos de exclamação numa frase a torna mais importante. Porém, esse sinal gráfico utilizado na produção de textos deve ser consumido com parcimônia. Afinal, “exclamar”, que vem do latim “exclamare”, significa gritar ou, no mínimo, falar em voz alta.


Na linguagem falada, você não berra “fui” quando alguém pergunta se foi ao médico. Falamos mais alto apenas quando queremos exprimir surpresa, exaltação, raiva, admiração. Portanto, quando sentir a tentação de colocar vários pontos de exclamação no final de uma frase, pondere se realmente é necessário.


Mas também não precisa ser assim tão rigoroso. Quer fazer uma pergunta e mostrar surpresa ao mesmo tempo. Pode colocar uma exclamação depois da interrogação. “Como assim você não gosta de lasanha?!”. Quando se usa um vocativo – termo que denota chamamento ou invocação – a exclamação também cai bem. “Pare de fazer bobagem, João!”.


Verbos no modo imperativo, usados para indicar orientação ou pedido, por exemplo, também se dão bem com a exclamação. “Por favor, não vá!”. As interjeições (Oba! Atenção! Obrigado! Socorro!) igualmente entram nessa.


E importante: depois da exclamação, use palavra iniciada com maiúscula, afinal ela está substituindo o ponto final. “Pare de falar! Pelo amor de Deus.” Mas ainda acho que a língua portuguesa deveria fazer como a espanhola: começar uma frase exclamativa com um sinal invertido (¡).


Assim, você começa a ler sabendo qual entonação deve usar. “¡Está na hora de parar de comer!”. Ficaria bom, hein?!

Copyright 2023 . Todos os direitos reservados

Presscom Comunicação - Limeira/SP

Criado por Presscom