top of page

Será que vai ter que mudar o jingle do Big Mac?


“Dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola e picles num pão com gergelim”. Só de ouvir o jingle que detalha os ingredientes do Big Mac dá água na boca de muita gente. Mas o carro-chefe do McDonald’s já não está tão assim com a bola toda.


O tradicional sanduba com dois hambúrgueres vem perdendo espaço para opções mais "gourmet" em vários países, incluindo o Brasil. Sendo assim, a rede do Ronald McDonald vem há sete anos testando mudanças no Big Mac, criado há 56.


Um novo tipo de pão, outra cebola, um pouquinho a mais de molho, alface mais fresca, vários itens estão sendo estudados. E aí é colocar no mercado para ver o que o público acha do novo Big Mac, que nasceu com o nome de “O Aristocrata”.


Bateu a curiosidade? Então vai um breve resumo dessa história. Em 1967, esse sanduíche foi inventado pelo franqueado Jim Delligatti, em Pittsburgh, que o batizou de “O Aristocrata”.


O lanche era muito bom, mas o nome, péssimo! Então os diretores da rede impuseram uma mudança para Blue Ribbon Burger, hambúrguer da fita azul. Ruim também.


Até que, em 1968, Esther Glickstein Rose, uma garota de 21 anos que trabalhava como secretária de publicidade na sede do McDonald's em Oak Brook, foi abordada por um gerente de desenvolvimento de produto, que pediu uma sugestão de nome.


"Big Mac", foi a resposta da moça, que não gostava dos dois nomes anteriores. Duas palavras curtas, bem combinadas, com ritmo e fáceis de lembrar.


Certeza de sucesso do sandubão que se tornou o item mais popular do cardápio do McDonald's.


Em tempo: duas versões alternativas, o Big Mac Duplo e o Big Mac Bacon, voltaram a ser disponibilizadas em restaurantes de todo o Brasil, mas por tempo limitado.

Commentaires


bottom of page