Por que ficar com dúvidas? Por quê?


“Por que” as pessoas fazem tanta confusão quando o assunto é escrever “porque”? Ou “por quê”? Queria saber o “porquê” disso. Gostaria de entender “por que” isso acontece. De fato, a coisa não é tão fácil. Então, sem entrar em muitos detalhes técnicos, vamos tentar elucidar as dúvidas na base dos exemplos.

POR QUE

Assim, separados, o “por” e o “que” são usados sempre que há o sentido de “por qual razão”, “por qual motivo”, seja em perguntas diretas seja em frases terminadas com ponto final.

- Por que você teve que ir ao médico hoje?

- Não ser por que você teve quer ir ao médico hoje.

Mas tem mais um modo de usar “por que”: quando substitui “pelo qual”, “pela qual”, “pelos quais” e “pelas quais”.

- Só eu sei os problemas por que passei.

POR QUÊ

Usa-se o “por quê”, separado e com acento, também com o significado de “por qual motivo”, mas quando vier antes de um ponto final, de interrogação ou exclamação.

- Você foi ao médico? Por quê?

- Ele foi ao médico sem saber por quê.

PORQUE

“Porque” usamos para indicar uma causa ou dar uma explicação, portanto, sempre numa frase afirmativa.

- Ele não foi ao médico porque não teve tempo.

PORQUÊ

Quando o “porquê” aparece com acento assume papel de substantivo, significando “razão” ou “motivo”. Sempre vem acompanhado de artigo, pronome, adjetivo ou numeral.

- Gostaria de saber o porquê de ter que ir ao médico hoje.

- Basta um porquê e desisto de ir ao médico.

Ainda tem dúvidas? Por quê? Me diga o porquê de não ter entendido, porque terei o maior prazer em ajudar. Afinal, não há por que não entender este assunto, não é mesmo?

Copyright 2023 . Todos os direitos reservados

Presscom Comunicação - Limeira/SP

Criado por Presscom